Com a adoção do Home Office, como medida para conter a pandemia causada pelo COVID-19, muitos líderes de negócios precisaram repensar suas estratégias para gerenciamento remoto dos dispositivos móveis das empresas e em garantir a segurança dos dados corporativos que trafegam pelos celulares de seus colaboradores.

Cada vez mais empresas adotam ferramentas de MDM (Mobile Device Management) para gerir seus recursos de mobilidade corporativa de maneira assertiva. Como muitas empresas possibilitam ao colaborador utilizar seu próprio smartphone e notebooks no ambiente de trabalho (BYOD), é preciso implementar regras de uso para garantir segurança e gerenciamento das políticas corporativas.

Para quem não está familiarizado com o tema, confira abaixo o que é e como as ferramentas de gestão de mobilidade corporativa podem ajudar a sua empresa:

O que é mdm?

O termo MDM vem do inglês Mobile Device Management, ou Gestão de Dispositivos Móveis. Há diversas ferramentas de MDM no mercado: todas elas com funcionalidades básicas de bloqueios e segurança e, cada uma delas, com funcionalidades específicas que atendem demanda individuais para cada negócio ou operação.

É o caso, por exemplo, de uma funcionalidade ofertada pela empresa MobiControl de visualização remota da tela do usuário, o que ajuda a otimizar atendimentos de suporte remotos quando há alguma ocorrência com o dispositivo. Há, ainda, o que se chama de “contêiner”, que é a separação entre ambientes corporativos e pessoais no smartphone do colaborador, como se fossem duas caixinha ou contêineres, daí o nome, cada uma delas com sua política de uso e restrições.

Há soluções que combinam funcionalidades de gerenciamento unificado de terminais (UEM – Unified Endpoint Management) para permitir o controle centralizado, de uma única plataforma, não apenas das informações que trafegam pelos smartphones, mas também pelos computadores, laptops, tablets, impressoras e Internet das Coisas (IoT) das companhias e de maneira integrada.

O objetivo fundamental por trás da implantação destas ferramentas é otimizar a funcionalidade e a segurança dos dispositivos móveis dentro da empresa e, ao mesmo tempo, proteger os dados sensíveis quando os funcionários estão dentro ou fora do escritório.

No entanto, há estratégias de gerenciamento de dispositivos especificas e com

Políticas de BYOD para Trabalho Remoto com uso de ferramentas de MDM

Muitos colaboradores preferem utilizar seus próprios smartphones ou notebooks para trabalhar no dia a dia. Às empresas, cabe decidir sobre a adoção de políticas de BYOD (Bring Your Own Device) e como esta política será implementada.

Implementar ferramentas de MDM nos Smartphones dos colaboradores pode apresentar alguns desafios, principalmente quando a equipe está trabalhando remotamente. É preciso conseguir equilibrar entre a segurança dos dados da empresa e a necessidade de o funcionário manter a sua liberdade e privacidade. Quando bem estudada e implementada, a estratégia pode oferecer diversas vantagens, como:

  • Redução de custos: afinal, o colaborador já possui o seu smartphone, então não será necessário a empresa comprar um novo para ele. Havendo a necessidade, em algumas situações, as empresas podem subsidiar uma parte da compra do aparelho.
  • Melhoria no clima: pesquisas mostram que os funcionários trabalham mais satisfeitos com os próprios aparelhos. Afinal, eles escolhem utilizar os modelos que mais gostam ou utilizam smartphones que já possuem familiaridade.
  • Em tempos de Home Office, Mobilidade: já que o colaborador pode trabalhar de qualquer lugar, não somente de casa.

Veja 5 configurações feitas com estratégias de MDM garantir o uso apropriado de notebooks e smartphones corporativos em Home Office

  1. Definir números permitidos e proibidos para realizar ligações telefônicas.
  2. Bloquear redes sociais, aplicativos de vídeo e áudio, permitindo o uso de aplicações corporativa.
  3. Habilitar câmera, microfone e outros aplicativos de background apenas quando os apps da empresa forem utilizados.
  4. Bloquear o aparelho para atividades que exijam total atenção do colaborador, como a de motorista e operadores de máquinas.
  5. Restringir acesso a dados corporativos fora do horário de trabalho: Isso também contribui para a diminuição de horas extras dos colaboradores e custos adicionais.

E sua empresa? Como está se adaptando às novas tendências e exigências de trabalho de home office?