Em tempos de planejamento financeiro e de renegociação de contratos com as operadoras de telefonia móvel, muitos executivos mantêm o foco em reduzir os preços oferecidos pelos provedores de serviços, mas deixam de analisar outros aspectos essenciais à sustentabilidade de suas operações. É preciso, por exemplo, entender se o mapa de cobertura oferecida atende a distribuição de equipes em campo ou se os planos e serviços estão adequados ao perfil de uso dos colaboradores, evitando surpresas com excedentes de roaming internacionais e outros custos desnecessários

Por isso, preparamos uma lista de informações que podem ajudá-lo a avaliar melhor as ofertas das operadoras para fazer a escolha mais inteligente.

1. Conheça suas necessidades e defina seus objetivos

Lembre-se: são as ofertas que têm que atender às suas necessidades, e não o contrário.

Por isso, faça uma análise detalhada dos modelos de smartphones, perfis de planos de voz e dados que você precisa contratar: o primeiro ponto é entender que modelos de smartphones suas equipes precisam, de acordo com suas necessidades de trabalho do dia a dia e a especificação técnica mínima do celular para os aplicativos corporativos utilizados. Se você vai contratar planos de voz ilimitados, é preciso entender qual a necessidade de uso de dados para cada equipe para evitar custos desnecessários. Outro ponto é conhecer os pacotes de roaming internacional oferecidos, segundo a frequência de viagem dos colaboradores.

2. Fique atento a novos planos e pacotes

Os preços de planos e serviços têm caído rapidamente. Certifique-se de que a oferta escolhida é a melhor para sua empresa e evite os famosos combos, que costumam incluir itens desnecessários à operação das companhias. Esclareça exatamente as franquias e limitações do serviço antes de assinar o contrato. Dependendo de sua negociação com a operadora, por exemplo, ao final do uso do plano de dados, este pode ser interrompido ou a velocidade simplesmente reduzida. Alguns planos ainda garantem navegação gratuita pelos aplicativos mais populares do mercado, como Waze e Whatsapp, comuns no meio corporativo. Tais detalhes trazem uma grande diferença financeira e de produtividade para a operação.

3. Cobertura

Mais do que avaliar se a operadora de sua escolha oferece uma infra-estrutura adequada ao seu negócio, é preciso também checar se ela garante sinal nas localidades onde sua empresa atua ou pretende atuar. Uma boa maneira de obter informações sobre cobertura é por meio do Mosaico, ferramenta de análise de cobertura da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). A plataforma online traz uma estimativa de desempenho de cada operadora em cada município do Brasil, fruto das avaliações da Anatel. Basta escolher a cidade e avaliar o sinal de 2G, 3G e 4G em cada localidade.

4. Considere contratar mais de uma operadora

Se a cobertura da prestadora que você pretende escolher for insuficiente para as cidades onde seus colaboradores atuam, você provavelmente terá que optar por outra provedora de serviços naquela área deficiente. Caso sinta necessidade de utilizar algumas linhas de operadoras que não a principal contratada, há uma solução para evitar o trabalho de abertura e manutenção de contas em operadoras adicionais: é locar essas linhas de empresas de gestão de telecom provedoras de Planos de Conectividade. Além de a condição comercial normalmente ser mais atrativa, os prazos de entrega também são menores. Como regra, mesmo que as linhas sejam locadas, o número do telefone pode ser um ativo importante para a empresa, que pode transferir o número para sua titularidade a qualquer momento.

5. Atendimento ao cliente: ter um gerente comercial de confiança do outro lado que resolva de maneira ágil suas demandas e dificuldades faz toda a diferença. Para se certificar, cheque também o ranking de reclamações das prestadoras divulgado mensalmente pela Anatel por meio do Índice de Desempenho no Atendimento (IDA). O IDA pontua as prestadoras utilizando as metas previstas para o setor de telecomunicações. Quanto maior a nota obtida, melhor a posição no ranking do IDA. Você pode acessar os últimos boletins aqui. Verifique também se o pós-venda é ágil e se a operadora tem ferramenta de controle e gestão.

6. Leia o contrato

É muito comum entre as operadoras, as chamadas ofertas sensacionalistas ou que escondem algumas condições no rodapé. Antes de decidir, veja se a operadora de escolha realmente cumpre o que promete. Analise as cláusulas que estabelecem o prazo contratual, a multa sobre cancelamentos e as situações em que ele pode ocorrer. Isso é fundamental para que você saiba as condições em que você deve alterar ou não seu contrato.

7. Ofertas de roaming no Brasil e no exterior

Os colaboradores da sua empresa viajam muito a trabalho? Então vale checar os melhores preços de roaming nacional e internacional. Várias operadoras renovaram recentemente seus pacotes para uso em outros países. Normalmente eles incluem uma determinada quantidade de dados de internet, ligações ilimitadas, recebimento de chamadas e envio de SMS fora do Brasil. A utilização de roaming, em todas as operadoras, deve ser contratada como excedente, o que pode pesar no custo com telefonia no final do mês.

Agora que você já conhece os critérios mais importantes, pode utilizá-los para ranquear as operadoras que mais atendem as exigências de seu negócio para decidir com base em critérios técnicos e objetivos.