No dia a dia de trabalho, são comuns problemas com o conectar de carga, bloqueios do aparelho por esquecimento de senhas, visores quebrados e até aparelhos danificados por contato com líquidos ou umidade, o que geram custos não previstos para a empresa.

A boa notícia é que há diversas maneiras de se evitar ou minimizar os problemas e aumentar a vida útil dos dispositivos. Por isso, conversarmos com o técnico Regson Zeli do time de assistência técnica da SAFIRA, para listarmos as principais ocorrências e separamos algumas dicas que podem lhe ajudar a evitar ocorrências técnicas com os dispositivos móveis de sua equipe.

Principais ocorrências de assistência técnicas e formas de evitá-las:

Conector de carga danificado

Em primeiro lugar no ranking das ocorrências, está o conector de carga danificado. Na grande maioria das vezes, isso acontece por má utilização do usuário: o contato com água, poeira e carregadores paralelos ou simplesmente colocar o dispositivo no bolso com papéis pequenos e outras sujeiras que possam provocar a obstrução da entrada do conector. Além disso, utilizar o dispositivo enquanto ele está plugado carregando pode dar pequenos “trancos” no cabo ainda conectado ao aparelho, o que também danifica a peça.

É fundamental que a entrada de contatos elétricos esteja sempre limpa e seca.

Aparelhos bloqueados

Aparelhos bloqueados por esquecimento da senha de bloqueio ou também da conta Google – que é necessária na formatação de qualquer Smartphone moderno que utilize o sistema Android – é o segundo fator de maior incidência de assistência dos dispositivos corporativos da SAFIRA alocados em nossos clientes.

Anteriormente, por meio de recursos como Find My Device do Google, era possível realizar a troca da senha em um PC, mas, com a evolução das regras de segurança dos fabricantes, esta funcionalidade foi descontinuada.

Uma solução para este problema é cadastrar uma senha forte e memorizada pelo usuário ou manter um backup frequente das informações contidas nos aparelhos.

Visor quebrado

Películas e capas protetoras são um dos melhores recursos para proteger dispositivos móveis de quebras por acidentes do dia a dia. Em média, a troca de telas custam entre 25% a 30% do valor do aparelho, o que impacta significativamente nos custos. Por isso, provisionar os smartphones e tablets corporativos com capas protetoras e películas é um investimento com retornos efetivos.

Saúde da Bateria

As baterias dos dispositivos mais recentes são feitas para durar ciclos inteligentes. Isso significa que após cerca 1.000 ciclos de recarga, elas começam a ter carregamentos cada vez mais fracos como um modo de segurança para que possam estender seu ciclo de vida. Então, quanto menos você carregar, mais vai conservar a vida útil dos dispositivos.

Há usuários que quando a bateria chega a 40% já colocam o smartphones para carregar e isso, realmente, é ruim para a saúde da bateria, pois está encurtando sua vida útil. O ideal é fazer ciclos de carga e descarga reguláveis, esperando chegar a um nível de 10 ou 15% para iniciar um novo carregamento.

Há algumas dicas que podem ajudar a baterias a durarem mais tempo sem cargas excessivas:

  • Remover aplicativos desnecessários para execução do trabalho
  • Evitar uso do aplicativo de mensagens para fins pessoais
  • Controlar o brilho das telas dos smartphones
  • Desativar notificações push de aplicativos que não são necessários.
  • Optar pela utilização do modo de tela escuro.
  • Remover ou restringir apps usados em segundo plano

Também é importante frisar que os carregadores originais são inteligentes e mantém comunicação com o aparelho. Mesmo após a carga estar completa, ainda que estejam conectados à tomada, o carregador original da marca somente sustenta a carga em 100% até que seja desconectado, sem riscos de sobrecarga.

Carregadores não oficiais ou de um modelo diferente do aparelho podem ter uma voltagem de saída diferente da ideal, fazendo com que o dispositivo receba uma voltagem maior do que a suportada. Utilizar o carregador oficial ajuda a garantir a vida útil planejada para a bateria daquele dispositivo.

Dispositivos danificados devido a líquidos ou umidade

Manter o dispositivo em ambientes úmidos, como banheiros e cozinhas, traz o risco de absorção dessa umidade. Aos poucos, os componentes internos vão passando por um processo de oxidação e, como consequência, surgem danos na tela e falhas no carregamento do aparelho.

Como forma de diagnosticar este problema, as marcas de smartphones e tablets têm selos internos que, ao entrar em contato com a umidade – seja do banheiro na hora do banho ou até estando no bolso em dias de chuva – mudam do branco para o vermelho, apontando o problema como mau uso.

Higienização inadequada

Com a pandemia causada pelo coronavírus, muitos usuários passaram a higienizar os dispositivos com mais frequência, mas de maneira inadequada. Álcool gel danifica o dispositivo. O correto é utilizar álcool isopropílico, que não mancha a tela, não estraga os fones de ouvido, conectores de carga ou oxida os componentes dos smartphones e tablets – por ter baixa porcentagem de água em sua composição. Vale ressaltar que o álcool não deve ser aplicado diretamente na tela do aparelho, mas sim, em pequena quantidade em um pano ou tecido que não solte fio.