É provável que você já tenha ouvido falar sobre Inteligência Artificial em algum momento da sua vida, mas será que você sabe do que ela é capaz?

Algo já realizado atualmente, é a inserção da AI (do inglês “Artificial Intelligence” ou Inteligência Artificial em português) no gerenciamento de processos de negócios. Muitas empresas aliam métodos tradicionais a este processo, mas ainda seria necessária uma inteligência humana real para validar os resultados.

Agora, AI, Machine Learning (Aprendizado de Máquina) e tecnologias similares estão explorando este campo por meio da Automação de Processos Robóticos (RPA, do inglês “Robotic Process Automation”). A combinação de AI e RPA soma-se à Automação Inteligente de Processos (IPA, do inglês “Intelligent Process Automation”), que também inclui um software de gerenciamento de processos e geração de agente cognitivos, os “bots”.

O bot e a automatização

Para dar início a esse processo, muitas empresas escolhem começar apenas com um bot inteligente, que muitas vezes se trata de um chatbot simples que responde perguntas pré-definidas. Então, uma vez que grande parte de um processo de negócios é automatizada, um novo nível de inteligência pode ser aplicado, recaindo sobre o processo, agora.

Pontos importantes sobre o RPA

Pode acontecer de as abordagens tradicionais do RPA atingirem um ponto de decisão onde serão muito complexas para uma decisão simples, sendo assim, as empresas passaram a utilizar a Inteligência Artificial para automatizar a descoberta de processos, evitando assim que os analistas precisem descobrir manualmente o que se passa na empresa, agilizando o processo de obtenção de dados que possam ser necessários para tomadas de decisão.

Esses sistemas de AI geralmente necessitam de milhões de dados para se mostrarem úteis (bigdata), e poucas empresas têm muitos dados internos sobre seus processos de negócios. Então, as empresas acabam se beneficiando de AIs com um conjunto de dados de todos os clientes / fornecedores. Outro caso é a compra de modelos pré-treinados e ajustá-los à suas necessidades, assim o processo de machine learning já estará praticamente pronto, necessitando apenas de pequenos ajustes (em caso de peculiaridades nos processos), ganhando tempo e agilidade no processo de implantação de sistemas baseados em AI.

Além disso, não há a necessidade de automação em todo o processo de negócios para a aplicação da AI. Muitas ferramentas corporativas exigem trabalho humano.

Os pontos positivos

O IPA, que é a combinação AI com RPA, pode apresentar entre 20% e 35% de aumento na eficiência e 50% e 60% na redução no tempo de processos. A maioria das empresas ainda está em estágio inicial, usando partes individuais da AI, mas já pode-se notar os benefícios que está proporcionando.

Parecem tecnologias futurísticas, mas já são reais e estão cada vez presentes no dia a dia das empresas.