A rápida evolução de tecnologias como o 5G, a internet das coisas e a realidade aumentada exigem inovações tão disruptivas também no gerenciamento de tecnologias das empresas. Com um volume de dados cada vez maior já circulando pelos mais diversos tipos de dispositivos – e não mais apenas pelos smartphones – haverá oportunidades para aplicações ainda não pensadas destas novas tecnologias.

A área de telecom da consultoria americana Deloitte destacou cinco tendências que podem impactar todo o ecossistema de telecom nos próximos anos e para os quais as organizações precisam se preparar:

1. A tecnologia 5G mudará tudo: esta será o tecido que conectará todas as outras tecnologias que dependem de telecom e conectividade, como a Internet das Coisas, mídias e veículos autônomos. A tecnologia resultará numa taxa de compartilhamento de dados infinitamente maior entre pessoas e coisas e entre aparelhos. Com o aumento exponencial do número de conexões e transferência de dados, entraremos na era do “Everything on Mobile” ou “tudo é mobilidade”. Todo esse cenário vai exigir infraestrutura e gerenciamento muito mais sofisticados de TI e Telecom para garantir o controle de uso e a segurança das informações de empresas e usuários. Em comparação com as gerações anteriores de tecnologia sem fio, espera-se que o 5G tenha um impacto muito maior na economia.

2. Smartphones continuarão a ser ferramentas fundamentais de trabalho: Espera-se um número cada vez maior de pessoas utilizando seus próprios smartphones no escritório. Na pesquisa da Deloitte, 93% admitiram usar seu celular enquanto estavam no trabalho e esses números permaneceram relativamente constantes nos últimos três anos. Tal onipresença no ambiente corporativo deve continuar e oferecer maiores possibilidades de comunicação e colaboração, mas também vai exigir um maior reforço em segurança dos dados. Ferramentas de gestão remota dos dispositivos serão itens cada vez mais essenciais às operações de TI das empresas. Com cada vez mais aparelhos para gerenciar, vale voltar os olhos para a nova onda do MDM, a UEM ou Unified Endpoint Management ou Gerenciamento Unificado de Terminais), que permite gerenciar e controlar o fluxo de dados que trafega por diferentes tipos de aparelhos ou plataformas, como laptops, tablets e IoT.

3. IoT será o novo normal: no futuro próximo, carro, casa e até pessoas estarão conectadas pela Internet das Coisas (IoT). As maiores operadoras dos EUA fizeram investimentos significativos em carros conectados nos últimos anos, e já se vê um forte crescimento nas assinaturas de planos para veículos conectados por lá. A escala na qual as soluções de IoT devem ser implantadas em um ambiente corporativo e os benefícios que elas podem oferecer constituem um forte argumento de negócios para uma implantação de IoT empresarial. Elas incluem frotas de veículos conectados, manutenção preditiva, automação de fábrica, treinamento de força de trabalho e suporte de campo. Com acesso ampliado nos próximos anos, essas soluções representam maior eficiência nas operações corporativas, custos reduzidos e melhores análises de dados e relatórios para as empresas.

4. Realidade Aumentada e Virtual (AR e VR) é o futuro: De acordo com o estudo da Deloitte (GMCS), um em cada 10 dos consumidores nos EUA já têm um fone de ouvido de realidade virtual. Embora eles ainda sejam mais focadas em entretenimento, as oportunidades empresariais também são vastas. Soluções de assistência médica remota, manutenção centralizada, educação à distância, gerenciamento de armazém virtual e suporte técnico são apenas alguns dos exemplos que podem oferecer muitas vantagens ao espaço corporativo, a depender da disponibilidade do espectro e da capacidade da rede.

5. Segurança e privacidade continuarão no topo das prioridades: Um estudo recente aponta que por oito em cada dez celulares do mundo todo trafegam informações corporativas. No Brasil, cerca de 60% das pessoas utilizam o smartphone para fins profissionais fora do horário e do ambiente de trabalho com muita frequência, segundo pesquisa que a própria Deloitte acaba de divulgar. Com as tecnologias 5G e internet das coisas, haverá uma circulação muito maior de dados e a segurança e privacidade das informações corporativas deverão estar no topo das prioridades das empresas.