Um ano depois da implementação do home office imposto pela chegada inesperada da pandemia do Covid-19, as empresas se perguntam qual será o futuro do ambiente corporativo. A experiência dos últimos doze meses provocou mudanças profundas na cultura das organizações, nas relações de trabalho como um todo e nas tecnologias utilizadas produtividade do colaborador em trabalho remoto.

Trabalhar em casa com mais frequência também exigirá o uso de novos hardwares e soluções, e a descontinuidade de outros. O Banco Goldman Sachs estima que o investimento em infraestrutura de dados tradicional cairá 3% ao ano entre 2019 e 2025. Por outro lado, as empresas tendem a gastar mais em tecnologias que permitam aos trabalhadores replicar a experiência de estar no mesmo espaço físico dos outros colegas.

Alguns especialistas em tecnologia calculam que, dentro de cinco anos, as pessoas serão capazes de colocar um fone de ouvido VR (virtual reality, em inglês) e mergulhar em um escritório virtual.

Veja a seguir 5 tecnologias que já são realidade neste cenário de “novo normal”:

Suporte remoto para os colaboradores

Com as equipes trabalhando de casa, quando os funcionários têm problemas com seus smartphones ou notebooks não podem mais se encontrar pessoalmente com um profissional de TI. A solução deve vir remotamente e maneira ágil. Ferramentas de gestão de mobilidade para dispositivos corporativos, como o MDM, garantem suporte rápido aos colaboradores, com a possibilidade de visualização remota das telas, controle dos dispositivos e envio de atualização de políticas.

Segurança da Informação:

Em 2020, foram registradas mais de 3,4 bilhões de tentativas de ataques virtuais no Brasil, segundo a consultoria Fortinet. Com o aumento do Home Office, redes corporativas estão sendo acessas por redes domésticas e isto pode colocar em risco a Cibersegurança do seu negócio. É por isso que as empresas têm investido em nuvens cada vez mais seguras com regras e padrões de proteção documentados

Neste momento, algumas dúvidas podem surgir, como:

  1. Os colaboradores estão recebendo os recursos e ferramentas necessários para garantir a segurança dos dados corporativos e sua privacidade?
  2. Todos os equipamentos, desde ativos como smartphones, linhas de telefonia à notebooks estão sendo protegidos?

Reuniões por vídeo chamadas

Uma tecnologia que foi, de fato, implementada durante a pandemia foram as “calls” ou reuniões por vídeo chamada. Com isso, ferramentas e aplicativos, como o Teams da Microsoft, que eram menos utilizadas (Em geral, para troca de mensagens ou dúvidas rápidas), ganharam nova dimensão. Surgiram e se popularizaram diversas ferramentas para conferência, pagas ou mesmo gratuitas.

Isso possibilitou, inclusive, um remodelamento de equipes de trabalho. Contratar colaboradores de outras Cidades ou até Estados já é uma realidade nas empresas brasileiras e é possível graças à digitalização destes novos tempos.

Notebooks para trabalho remoto

Substituição de computadores por notebooks. Em 2020, as vendas globais de notebooks aumentaram 25%, se comparadas a 2019, segundo relatório do DigiTimes. Entre as principais razões do aumento de vendas destes dispositivos está o home office.

Controle de Jornada de Trabalho

Fazer o controle da jornada de ponto do colaborador é fundamental para equilibrar a produtividade do funcionário, jornadas de trabalho e garantir a segurança jurídica do empregador.

Embora as leis não forcem as empresas a adotarem um software de controle de ponto eletrônico, tal tecnologia oferece segurança e proteção as informações. E, também, por meio da gestão realizada via MDM, é possível configurar dispositivos corporativos, como notebooks e smartphones, para utilização durante a jornada de trabalho e bloqueio fora do horário comercial.